terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

A Violência institucional contra as Doulas...um desabafo!!!

Sabe, eu sempre tive a certeza de que gostaria de trabalhar com gestantes e bebês. Mesmo antes de ser mãe eu já sabia desse amor pela maternidade, aliás acho que desde criança eu já sabia...Mas hoje...só sei que nada sei...kkk é exatamente assim que me sinto...



Corri atrás do meu sonho de ser doula... E SOU!!! E agora corro atrás do sonho de ser enfermeira obstetra...e ACHO que vou ser...mas acontecem coisas que deixam a gente pensando se está caminhando para o rumo certo...

Andei pensando (mais especificamente hoje!) se vou realmente conseguir, como doula, alguma abertura dos médicos e intituições para poder fazer meu trabalho, porque na prática, o que eu ouço, (e VEJO!!!) é que quando se pronuncia a palavra Doula, os médicos já torcem o nariz e se tiverem autonomia para impedir que participem eles o fazem...e se não tiverem, também o fazem!! Ou pelo menos tentam daquele jeitinho que só eles tem de se impor... Posso dizer que ainda não tive a experiência que eu tanto desejei de acompanhar um parto, mas também já posso dizer que já passei pela violência que eu NUNCA quis de ser criticada por ser doula e de ouvir alguém dizendo que doulas não servem pra nada... Enfim, essa violência que a gente sabe que existe e é praticada o tempo todo contra as gestantes já começa com a privação de ter uma doula por perto e de ter um parto com muito mais amor e atenção...#prontofalei

4 comentários:

  1. ilse de castro vianna14 de fevereiro de 2012 13:29

    ola amiga, estou tambem me sentindo da mesma maneira que voce, com tanto amor, carinho, atenção para dar e e não ter a oportunidade, doi e doi muito, voce disse tudo que estava engasgado em meu coração, mas vamos continuar acreditando e tentando muuuuuito. bjs em seu coração

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pelo conforto ilse!! :) É uma realidade muito triste né...mas um dia mudaremos isso!

    ResponderExcluir
  3. Mariana, é por isso que uma boa parte das doulas só trabalha com os obstetras humanizados. Ficamos num dilema entre o protagonismo da mulher no parto que envolve a escolha dos profissionais e do local de parto e a nossa saúde mental porque o desgaste psicológico é muito grande pra nós quando somos barradas na porta do centro obstétrico nos últimos minutos do parto depois de horas trabalhando com aquela parturiente.

    ResponderExcluir
  4. É a mais pura verdade Priscilla!!! É muito frustrante mesmo ser barrada, eu ainda estou a procura de um obstetra humanizado na minha cidade...mas tá dificil viu... :(

    ResponderExcluir